Doenças mais comuns em cachorros: proteja o seu peludo!

Humano, você sabe identificar quando o seu cãozinho está doente?

Os nossos peludos não conseguem falar, por isso devemos sempre ficar atentos aos sinais que eles podem apresentar de alguma doença. Para podermos entender melhor os sintomas, precisamos conhecer as doenças mais comuns que os peludos podem ter.

Por isso, separamos um guia com as doenças mais comuns em cachorros, seus sintomas, tratamentos e prevenção!

Principais doenças, sintomas e tratamentos

Otite

A otite é uma das doenças mais comuns em cães. É uma infecção comum que ocorre no conduto auditivo e que pode ser causada por diversos fatores, como infecção por bactérias, fungos, pólipos, ácaros, entre outros.

A grande maioria dos quadros de otite é simples de fácil tratamento, contudo é uma doença muito incômoda e desagradável, podendo ter diferentes causas e graus de gravidade.

  • Principais sintomas: vermelhidão, secreção no ouvido e coceira. A otite que ocorre na parte mais interna do ouvido provocam, além dos outros sintomas, dores.
  • Tratamento: O tratamento vai depender do tipo da causa da otite (fungos, bactérias etc.). Tutor, fique muito atento, pois embora a maioria dos casos seja simples e de fácil tratamento, se não cuidada, ela pode se agravar e provocar uma infecção generalizada.
  • Prevenção: Realizar constantemente (a cada 15 dias) a limpeza da parte externa do ouvido com produtos adequados. É ideal que se escolha produtos que façam a limpeza, evitando a proliferação de bactérias e fungos.

[Limpa ouvido Natural com Própolis Verde]

Erlichiose

A Erlichiose, mais conhecida como Doença do Carrapato, é uma doença muito séria e que pode causar bastante complicações. A transmissão dessa doença ocorre por meio da picada do carrapato, um parasita, e pode desencadear quadros graves de anemia, insuficiência renal, hemorragia e até mesmo alterações neurológicas.

Por isso devemos ficar muito atentos aos sintomas, pois se não tratada a tempo, pode levar o animal à morte.

  • Principais sintomas: Os sintomas apresentados vão depender da reação do organismo à infecção. Na fase aguda, geralmente entre 1 e 3 semans após a infecção, os principais sintomas são febre, falta de apetite, perda de peso e um comportamento apático e triste.  Na fase subclínica, que pode durar de 6 a 10 semanas, o cão não apresenta nenhum sintoma clínico, apenas alterações nos exames de sangue. Se o sistema imune o peludo não conseguir eliminar a bactéria, o animal poderá entrar na fase crônica que se caracteriza pela perda de peso, aumento do baço, dos linfonodos e do fígado, pequenas hemorragias, quadro depressivo e outras infecções.
  • Tratamento: Embora seja uma doença grave, ela pode ser tratada em qualquer fase. Seu tratamento é feito com antibióticos e, dependendo do caso, pode ser necessário a complementação com soro ou transfusão sanguínea.
  • Prevenção: A melhor prevenção é evitar o contato do seu cão com carrapatos, ou seja: desinfetar o ambiente em que o animal vive, verificar frequentemente a presença de carrapato no peludo e manter a grama do quintal sempre baixa e bem cuidada. Nós indicamos o uso frequente das coleiras repelentes naturais, que protegem o seu pet de pulgas, carrapatos, mosquitos e outros insetos, sem agredir a saúde do seu filho de quatro patas.

Obesidade

A obesidade canina é um problema muito sério e que pode trazer inúmeros malefícios para o seu peludo. Muitas vezes acabamos negligenciando a obesidade nos cães, contudo o acúmulo excessivo de gordura pode trazer problemas nas articulações, diabetes, doenças cardiovasculares e até mesmo neurológicas.

  • Principais sintomas: Somente os veterinários conseguem diagnosticar com precisão a obesidade nos cães, contudo, fique atento a sinais como a dificuldade respiratória, cansaço fácil e frequente ao andar e correr, sedentarismo e dificuldade ao se levantar. Leve o seu cão para uma consulta assim que perceber esses sintomas!
  • Tratamento: O tratamento consiste geralmente em promover uma dieta adequada às necessidades do cão, e exercícios leves. Em alguns casos pode ser recomendado a fisioterapia também.
  • Prevenção: Uma alimentação equilibrada e saudável é a melhor forma de prevenir a obesidade, em conjunto com uma rotina de exercícios e atividades. Opte por alimentação natural ou rações naturais, que promovem o equilíbrio nutricional que o seu cão precisa.

Cinomose canina

A cinomose canina é uma doença viral altamente contagiosa e que pode levar o animal à morte caso não seja diagnosticada e tratada. Ela afeta principalmente filhotes e cães idosos com baixa imunidade.

  • Principais sintomas: Essa doença pode começar com sintomas de diarreia frequente, vômitos e sinais respiratórios, como secreção nasal, tosse e dificuldade de respirar. Em estágios mais avançados apresenta sintomas neurológicos como tremores, convulsões, paralisias e dificuldade para se locomover.
  • Tratamento: Após o diagnóstico por meio de exames de sangue, não há uma forma de combater o vírus, ou seja, não tem cura específica. Contudo, realiza-se um tratamento para amenizar os sintomas e deixar a vida do animal mais confortável.
  • Prevenção: A prevenção desta doença é muito simples, e deve ser seguida por todos os tutores: vacinação! Para garantir a saúde do sue pet, siga o calendário de vacinação e a imunização contra a doença.

Leptospirose canina

A leptospirose canina é uma doença séria e preocupa muitos tutores. A doença é causada por uma bactéria e é bastante contagiosa, por isso precisamos tomar muito cuidado com ela!

  • Principais sintomas: Os sintomas clínicos vão depender da imunidade e da idade do cão, mas os mais comuns são prostração, perda de apetite, vômito, febre e icterícia. Embora esses sintomas sejam comuns à outras doenças, é muito importante que ao percebê-los, o tutor leve o seu pet imediatamente ao veterinário.
  • Tratamento: O tratamento pode variar conforme o estágio em que a doença se encontra. Essa doença tem cura e para que ocorra da melhor maneira são administrados remédios específicos em conjunto com uma boa hidratação e alimentação equilibrada.
  • Prevenção: A melhor maneira de prevenção dessa doença canina é a vacinação. A vacina de Leptospirose deve ser reforçada periodicamente.

Leishmaniose

A Leishmaniose canina é uma doença causada por infecção parasitária e pode ser transmitida para seres humanos. Essa zoonose é uma questão de saúde pública, pois encontramos diversos casos no Brasil, e ela ataca o sistema imunológico do animal.

  • Principais sintomas: Muitos cães, no início da doença não apresentam sintomas e existem animais contaminados que são assintomáticos. Os sintomas mais comuns são emagrecimento, febre, lesões na pele (principalmente nas orelhas e na face, perda de apetite e crescimento exacerbado das unhas). Outros sintomas variados podem aparecer de acordo com o órgão atingido.
  • Tratamento: Atualmente, a doença pode ser tratado com um remédio específico para pets conhecido como Milteforan (miltefosina)
  • Prevenção: A vacina é a principal forma de prevenção da leishmaniose canina. Outras formas de prevenção é a limpeza e higiene do local em que o cão vive, de modo a evitar a proliferação do mosquito transmissor; o uso de telas de proteção em casa; e, por fim, o uso de coleiras repelentes ou soluções repelentes que afastem o mosquito do seu peludo.

[Coleira Repelente Natural na Zenpet]

Tutor, essas são somente algumas das doenças mais comuns que os cãezinhos podem ter, contudo, fique de olho se o seu filho de quatro patas apresenta alguns dos sintomas citados. Lembre-se sempre que ninguém mais do que você conhece o seu pet, portanto fique atento a qualquer alteração de humor, alimentação, rotina etc. 

Para ter acesso a mais conteúdos sobre saúde e comportamento canino, se cadastre no nosso Newsletter e receba nossas atualizações. Qualquer dúvida que tiver, entre em contato conosco por meio da nossa Central de Atendimento no site!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *