cachorro na praia

Vai ter cachorro na praia SIM! Entenda a campanha.

Poucos espaços são mais democráticos do que as praias. Elas são quase de todo mundo, mas há uma exceção: os cães. Ainda que não seja difícil encontrar um ou outro cachorro se aventurando a pular ondas, boa parte das cidades litorâneas possuem leis que proíbem esses animais de entrar nas praias brasileiras. 

O problema é que, como quase todo mundo, cachorros amam uma praia e, quando têm oportunidade, donos e tutores raramente contrariam seus desejos. Intencionalmente ou por simples desconhecimento, muita gente burla as leis, o que pode acarretar em multas caso a fiscalização ou a vigilância esteja por perto. 

Em boa parte das cidades onde não há regulamentação, alguns grupos se esforçam para criar códigos de postura, que não têm força de lei, mas definem regras de frequência e convívio. 

cachorro na areia da praia

Todas as praias proíbem cachorros? 

Nem todos os municípios proíbem os animais na praia. De uns tempos para cá, diversas cidades turísticas, como Rio de Janeiro e Natal, liberaram a presença de cachorro na praia. No entanto, por força de lei ou regulamento interno, muitas praias ainda mantêm a placa com a mensagem: “Proibida a entrada de animais”.

Os motivos para a proibição de levar cachorro à praia vão desde questões ambientais até o conforto dos demais banhistas. Em ambos os sentidos, a principal preocupação é com as fezes do pet. Elas podem conter larvas de Migrans cutânea, popularmente conhecida como bicho-geográfico. 

A  Lei Nº 5.504, por exemplo, que em 1999 instituiu o Código Municipal de Saúde de Salvador, proíbe o trânsito de animais nas praias, parques e praças. A norma inclui tanto cães de rua quanto domésticos e prevê até mesmo multa para o caso de descumprimento 

Em Caraguatatuba (Litoral de São Paulo), a Lei Municipal 1.298 de 2006 proíbe a presença de animais na praia. A multa varia de 100 a 1000 VRMs (R$ 374 a R$ 3.740).

A fiscalização é feita pelas equipes do CCZ e embora muitos proprietários justifiquem que seus cachorros, gatos são saudáveis, os riscos são para eles e para os humanos.

Porém, na nossa opinião, também na opinião de especialistas no assunto e até para o próprio poder público atual, esta lei está obsoleta. Portanto, ainda que você não goste e considere um absurdo a nossa presença neste espaço, VAI TER CACHORRO NA PRAIA SIM!

Vamos lá. A convivência entre cães e pessoas mudou tanto nas últimas duas décadas que não faz mais sentido proibir que eles frequentem as praias. Nem mesmo por questões relacionadas com a saúde pública ou humana.

Cachorro na praia é vida  Desde que a gente respeite as pessoas e evite aglomerações. Misturar cachorro com gente demais vai dar confusão. Importante optar pelas primeiras horas da manhã e finalzinho da tarde. Porque é a hora que as pessoas ainda estão chegando ou estão deixando a praia. 

Cães na praia transmitem doenças?

Transmitem como transmitem em qualquer outro lugar. E as bactérias e fungos que existem na própria areia podem transmitir doenças também independente do cachorro. Então, impedir que os cães frequentem a praia por causa disso não faz o menor sentido. 

Um cachorro que transmite doenças na praia transmite também em casa e na rua. Não é porque é praia. Se a gente tivesse que tirar os cães das praias por conta disso, a gente tinha que tirar eles do convívio social. Sem falar que não tenho dúvida de que as pessoas sujam muito mais as praias do que os animais.

Cuidados com a saúde do seu cão na praia: 

cachorro na água da praia

Sabemos que o verão traz muitos riscos para os cães. Inclusive, o calor pode levá-los à morte por hipertermia. Por isso, vamos passar algumas dicas para tutores que querem levar os cachorros à praia.

– No caso de o animal entrar na água salgada (que pode ter iodo e metais pesados) é importante tomar um banho de água doce com shampoo neutro em casa. Isso evita doenças de pele. 

– Olhos: os cães adoram esfregar o rosto na areia, que pode ter bactérias. Uma boa opção é lavar os olhos do cachorro com soro fisiológico.

– Observe o desgaste físico. Correr e nadar demais sob sol quente pode trazer problemas. 

– Vermifugue seu animal. Os dejetos deixados na areia podem transmitir doenças.

– Leve água para hidratar seu cachorro. 

– Prefira os horários menos quentes, entre 6h e 8h a partir das 16h30.

#VAITERCACHORRONAPRAIASIM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.