Dirofilariose: conheça a doença do verme do coração

Tutor, você já ouviu falar sobre a dirofilariose?

Também conhecida como verme do coração, a dirofilariose é uma doença causada por um verme, que pode acometer cães e gatos. É uma doença considerada parasitária cardiopulmonar e tem sua transmissão mais frequente nas estações mais quentes do ano, principalmente no litoral.

Por ser uma doença muito séria e que por vezes pode ser silenciosa, a Zenpet elaborou um guia com as informações mais importantes sobre a dirofilariose, confira a seguir!

Causa e Transmissão

A dirofilariose tem como agente causador um parasita nematoide, conhecido como Dirofilaria immitis, que se aloja no coração dos cães quando atinge a fase adulta.

A transmissão da doença pode ocorrer pela picada de mosquitos de várias espécies, inclusive o Aedes aegypti. Quando o mosquito entra em contato com um animal contaminado por meio da picada, as larvas do verme passam para o mosquito e se desenvolvem em seu interior.

O período de maior transmissão da doença se dá nos dias mais quentes pois o tempo de desenvolvimento das larvas no mosquito depende da temperatura, e quando a temperatura é mais baixa, a o processo é mais lento.

Bem, mas como o verme chega ao coração do animalzinho? Ao ser picado por um mosquito hospedeiro que carrega as larvas do verme desenvolvidas, as microfilárias, o animal passa a conter em sua corrente sanguínea as larvas do verme, que vão para o tecido subcutâneo e muscular, onde se desenvolvem e se tornam jovens adultas entre 3 e 4 dias. Após aproximadamente 100 dias, as larvas chegam ao coração, no qual se alojam no ventrículo direito e nas artérias pulmonares do hospedeiro.

O processo é longo e muito perigoso, pois ao se alojarem no coração do animal, as larvas atingem maturidade sexual, acasalam e liberam novas microfilárias na corrente sanguínea do hospedeiro, começando um novo ciclo de vida.

Para detectar a doença, é necessário que o animal esteja contaminado há pelo menos 6 a 8 meses, pois é o tempo que as larvas precisam para chegar na corrente periférica.

Diagnóstico e sintomas do verme do coração

Como falamos anteriormente, essa é uma doença muito perigosa, e que não costuma ser identificada antes dos 7 meses de infecção, pois o animal não apresenta sintomas e as larvas ainda não chegaram na corrente sanguínea do animal. Mas cuidado, tutor: embora o animal não apresente sintomas, ele já poderá transmitir a doença, e por isso a prevenção é muito importante.

O diagnóstico da doença é feito por meio de testes rápidos com amostra de sangue, e a partir do 7º mês, os sintomas podem começar a aparecer, como: tosse, cansaço, insuficiência cardíaca, entre outros.

A American Heartworm Society, uma associação americana que busca promover o progresso científico no estudo da dirofilariose, listou os principais sintomas de acordo com o grau de contaminação:

  • Contaminação leve: animal assintomático ou com tosse.
  • Contaminação moderada: animal com tosse, intolerância ao exercício e presença de sons anormais nos pulmões.
  • Contaminação severa: animal com tosse, intolerância ao exercício, letargia, fraqueza, dispnéia, sons anormais no coração e nos pulmões, hepatomegalia, síncopes (desmaios), ascites (acúmulo de fluido na cavidade abdominal), síndrome da veia cava e morte.

Os sintomas mais graves estão associados à maior presença de vermes adultos nas artérias pulmonares.

Diversos exames podem ser feitos para identificar o parasita, como os exames de sangue – já citados anteriormente – e o ecocardiograma. Além disso, outros exames podem ser solicitados pelo médico veterinário para que se possa entender a gravidade e o avanço da doença.

Como na maioria das doenças, quanto mais rápida for realizada o diagnóstico da doença e o quanto antes o tratamento for iniciado, mais rápido e eficaz ele será.

Tratamento da dirofilariose

O tratamento da dirofilariose é muito complexo, longo e invasivo para a saúde do animal. Geralmente é feito com adulticidas – para matar as larvas já adultas – e microfilaricidas – que agem nas microfilárias.

Esse tratamento tem muitos efeitos adversos, sendo um deles o risco de embolia pulmonar causada pelos vermes mortos. Em casos mais graves, nos quais a quantidade de vermes presentes no pulmão e coração é muito alta, pode-se optar pela remoção cirúrgica.

Deve ser avaliado por um médico veterinário a realização do tratamento, pois dependendo do estado de saúde do animal, o tratamento pode representar um grande risco de morte. E é por conta disso que a prevenção é a melhor opção!

Como prevenir a dirofilariose?

Embora seja uma doença muito complexa e perigosa, a dirofilariose pode ser evitada!

Para evitar a transmissão da doença, que ocorre por meio da picada de mosquitos, os repelentes são uma ótima opção.

Coleiras repelentes naturais para o seu pet <3

Além disso, a prevenção pode ser feita por meio de medicação por via oral ou medicação injetável. É importante que antes de oferecer qualquer tipo de medicamento para o seu pet, o veterinário seja contatado, pois pacientes portadores do verme podem desenvolver uma reação anafilática se receberem a medicação e isso pode levar a morte.

Spray repelente natural Neem Pet Preserva Mundi

A medicação injetável pode ser administrada nos filhotes o quanto antes, antes da oitava semana de vida. Já para os animais adultos, é importante que seja administrada logo após a constatação do teste rápido negativo, e deve ser feita uma vez por ano.

Agora que você já está por dentro do assunto, é só cuidar da saúde e bem-estar do seu peludo! Se quiser ficar por dentro de outros conteúdos sobre alimentação, saúde e bem-estar do seu pet, acesse o blog da Zenpet! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.